generalidades

Capitais Europeias da Cultura 2020 - Rijeka (Croatia) and Galway (Ireland)

O Programa Capital Europeia da Cultura pretende destacar a grande diversidade da cultura europeia sem esquecer os valores comuns.

Todos os anos são selecionadas uma ou duas cidades como capitais europeias da cultura que podem assim beneficiar do apoio concedido no âmbito do Programa Cultura. As verbas obtidas destinam-se a financiar exposições e outras ações que ponham em evidência o património cultural da cidade e da região, além de um vasto conjunto de espetáculos, concertos e outros eventos, reunindo intérpretes e artistas de toda a União Europeia. A experiência demonstra que o programa tem tido um impacto a longo prazo no desenvolvimento da cultura e do turismo das cidades selecionadas.

Rijeka, na Croácia, e Galway, na Irlanda, são as Capitais Europeias da Cultura 2020. O título tem a duração de um ano e entrou em vigor no passado dia 01 de janeiro de 2020, segundo foi anunciado no dia 03 de janeiro pela Comissão Europeia.

«Graças ao seu título de Capital Europeia da Cultura, Rijeka e Galway vão aproveitar o potencial total da cultura para enriquecer a nossa experiência de vida e para aproximar as nossas comunidades», afirma Margaritis Schinas, vice-presidente da Promoting our European Way of Life.

Segundo o mesmo responsável, a promoção da cultura pode impactar positivamente a sociedade de diferentes formas. Por um lado, ao nível da inclusão social, por outro, em termos de integração e crescimento económico.

«Permite que as pessoas ganhem novas experiências, competências e oportunidades de participar na sociedade e de tornar as nossas sociedades mais justas e inclusivas" de acordo com Margaritis Schinas.

Marya Gabriel, por seu turno, sublinha que a Capital Europeia da Cultura promove valores sobre os quais a União Europeia foi construída, nomeadamente diversidade, respeito, tolerância e abertura. Segundo a Comissária para a Inovação, Pesquisa, Cultura, Educação e Juventude, uma Capital Europeia da Cultura de sucesso tem significado para os seus cidadãos, é aberta ao mundo e impulsiona a paz e compreensão, ao mesmo tempo que beneficia economicamente a região.

No caso de Rijeka - a primeira cidade croata a assumir este título - "Port of Diversity" será o mote de todas as iniciativas. Galway, por outro lado, aposta em "Let the Magic In", sendo que esta é a terceira idade irlandesa escolhida para ser Capital Europeia da Cultura.

Conheça a programação detalhada de cada uma das cidades em: https://rijeka2020.eu/en/ ou https://galway2020.ie/en/

O Pilar Europeu dos Direitos Sociais

No âmbito da "Cimeira Social para a promoção do crescimento e de emprego mais justo" realizada em Gotemburgo (Suécia), a 17 de novembro de 2017, foi proclamada e assinada pelo Conselho da União Europeia, o Parlamento Europeu e a Comissão Europeia a criação do novo "Pilar Europeu dos Direitos Sociais" .

O objetivo deste Pilar é conferir novos e mais concretos direitos sociais aos cidadãos. Assenta em 20 princípios-chave, agrupados em três categorias:

  • Igualdade de oportunidades e acesso ao mercado de trabalho
  • Condições de trabalho justas
  • Proteção e inclusão sociais

Para mais informações consulte os seguintes documentos:

E sites:

Trabalho mais seguro e saudável em qualquer idade

A Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho apresentou, no final de 2016, as conclusões do seu projeto "Trabalho mais seguro e saudável em qualquer idade", que tem como objetivo analisar as tendências demográficas, os desafios e as estratégias e políticas existentes em matéria de envelhecimento seguro e saudável no trabalho.

O estudo e as suas conclusões foram transformados numa ferramenta de visualização interativa disponível no endereço: https://visualisation.osha.europa.eu/ageing-and-osh#!/.

Consulte o relatório geral e a síntese deste estudo.

Para mais informações sobre este projeto aceda a: https://osha.europa.eu/pt/themes/osh-management-context-ageing-workforce/ep-osh-project

O cartão europeu de seguro de doença

É gratuito, facilita o acesso aos cuidados de saúde nos 28 países da UE e ainda na Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça.
Um problema de saúde já por si só é penoso, mas associado ao facto de ter de lidar com um sistema de saúde desconhecido e com os custos adicionais de uma emergência torna a situação ainda mais difícil.
O cartão europeu de seguro de doença é muito útil nestas situações dando acesso aos mesmos cuidados de saúde que os cidadãos do país visitado.
Os cidadãos europeus beneficiam de um acordo concluído pelos 28 países da UE e pela Islândia, o Liechtenstein, a Noruega e a Suíça, ao abrigo do qual têm direito às prestações da segurança social quando trabalham, vivem ou viajam num dos referidos países.
O cartão europeu de seguro de doença é gratuito, no entanto tem de já estar coberto por um dos sistemas de segurança social de um dos 32 países atrás referidos.
Para mais informação consulte o site da Segurança Social.